10/09/2019 Liebherr apresenta duas novas máquinas para mineração na Exposibram 2019

  • Nova escavadeira de 70 toneladas produzida no Brasil
  • Nova pá-carregadeira de grande porte L 566
  • Guindastes de torre aplicados em mineração na América Latina

Belo Horizonte, 9 de setembro de 2019 – Na Exposibram a Liebherr lançará duas novas máquinas produzidas no Brasil. A escavadeira de 70 toneladas, que é sucessora da R 964 C, passou a ser produzida na fábrica da Liebherr em Guaratinguetá em meados de 2019. Já a pá-carregadeira, que também teve sua fabricação iniciada esse ano, complementa o portfólio de pás-carregadeiras de grande porte da marca já bem estabelecido no Brasil.

Pá-carregadeira L 566, com carga de tombamento de 15.550 kg passa a ser produzida no Brasil

Pá-carregadeira L 566, com carga de tombamento de 15.550 kg passa a ser produzida no Brasil

Força e produtividade com a escavadeira Liebherr R 966

A escavadeira sobre esteiras R 966, agora produzida no Brasil, é a sucessora da escavadeira de 70 toneladas, R 964 C. Com novo projeto, design e funcionalidades, a R 966 agora traz ainda mais potência e velocidade para a operação de minerações que precisam de força e produção eficiente.

Com os principais componentes Liebherr, a R 966 conta com o sistema de giro independente, o que permite mais velocidade e eficiência no tempo de ciclo – sem desperdício de energia tornando-a a mais veloz e potente máquina da classe no mercado. O pré-filtro de ar garante maior vida útil do filtro principal e a câmera traseira e a iluminação LED frontal e traseira melhoram a visualização da área de trabalhando, dando ainda mais segurança para a operação. O tanque de combustível de 1.140 litros de capacidade permite uma maior autonomia do equipamento demandando menos paradas para o abastecimento gerando maior disponibilidade e produtividade da máquina.

Na cabine, o display touchscreen é intuitivo e permite acesso de todo o gerenciamento eletrônico da máquina, como por exemplo, às informações de nível de fluidos, dos sensores e solenoides, dando mais autonomia e segurança ao operador. O joystick eletrônico, assento com suspensão pneumática e o ar condicionado dão máxima ergonomia e conforto para o operador, garantindo sua melhor produtividade. Outro sistema padrão para as escavadeiras R 966 é o sistema de telemetria Lidat que permite que o cliente e a Liebherr tenham um gerenciamento instantâneo das máquinas por meio de um computador que esteja conectado à internet, fornecendo maior controle para planejamento de manutenção.

No implemento, o cilindro de escavação conta com uma proteção para evitar impactos na haste durante a operação elevando assim a vida útil das vedações e demais peças do cilindro. O sistema de regeneração nos cilindros de elevação e cilindro de avanço permite maior economia de combustível e velocidade no ciclo. Também conta com um sistema de segurança em caso de rompimento de mangueiras que não permitirá que os cilindros de elevação e avanço se movimentem no caso de rompimento de mangueiras, elevando a segurança no entorno do equipamento e para manutenção. As caçambas HD podem ser configuradas a partir de 4,0 m³ até 5,0m³ de capacidade, dependendo do material e é equipada com entredentes e caneleiras para minimizar o desgaste.

No carro inferior, as guias de esteiras individuais facilitam e tornam mais segura as manutenções no carro inferior por serem peças independentes e minimizam o desgaste da corrente da esteira. As esteiras com sapatas chanfradas permitem maior manobrabilidade da escavadeira e a roda motriz com canais para expurgar materiais agregados minimizam o desgaste do material rodante por diminuir a quantidade de material agregado no carro inferior.

Com estas configurações e novos opcionais disponíveis, a escavadeira Liebherr R 966 garantirá a melhor produtividade do mercado em sua categoria, maior conforto, segurança e confiabilidade.

Escavadeira sobre esteiras R 966, da classe de 70 toneladas é produzida em Guaratinguetá (SP)

Escavadeira sobre esteiras R 966, da classe de 70 toneladas é produzida em Guaratinguetá (SP)

Nova pá-carregadeira L 566

A pá-carregadeira Liebherr L 566, agora produzida no Brasil, possui caçamba de 2,8m³ a 4,0 m³ e carga de tombamento de 15.550 kg (articulada completamente a 40°) e foi desenvolvida para atender a necessidade do mercado brasileiro na classe de carga de tombamento entre 14.000 kg e 16.999 kg, que atualmente são supridas no mercado por carregadeiras com peso operacional de 23 toneladas. A L 566 possui porte intermediário entre as pás-carregadeiras Liebherr L 556 e L 580 já conhecidas no mercado nacional. A L 556 tem 12.850 kg de carga de tombamento e 3,5m³ de capacidade de caçamba; já a L 580 tem de 18.000 kg de carga de tombamento e caçamba de 5,0 m³. Aproveitando a robustez da máquina e a alta performance aliada aos baixos custos operacionais pelos quais a Liebherr é reconhecida no mercado, a pá-carregadeira L 566 foi desenvolvida considerando as formas de aplicação e necessidades do mercado nacional e conta com o consagrado sistema de translação hidrostático da Liebherr, que reduz custos operacionais e mantendo a máxima produtividade. Em sua configuração padrão oferece ao mercado a maior altura de descarga da categoria, além do sistema único de translação hidrostático, características que somadas permitem ciclos de trabalho mais rápidos, baixíssimo consumo de combustível e, consequentemente, maior produtividade.

Caçambas especiais foram projetadas para atender aos requisitos dos clientes. Modelos diferentes foram desenvolvidos para atividades de pátio, como para o carregamento de caminhões com agregados e, além disso, a L 566 pode ser utilizada com caçambas para rocha ou para materiais leves.

As pás-carregadeiras Liebherr L 566 são projetadas para garantir maior eficiência para o cliente. O posicionamento ideal do motor na longitudinal e na parte traseira do equipamento, somente possível com o sistema de translação hidrostático Liebherr, elimina a necessidade de contrapeso adicional, o que reduz o peso operacional do equipamento, aumenta a produção por hora e ainda permite uma economia de até 25% no consumo de combustível.

O sistema de translação hidrostático reduz ainda o desgaste dos freios e dos pneus. O freio mecânico de serviço é usado somente em frenagens secundárias, o que torna o sistema praticamente isento de desgastes, permitindo significativa redução dos custos de reparo dos freios; da mesma forma, o sistema hidrostático permite que a força de tração possa ser gradualmente regulada. O desgaste dos pneus é reduzido em até 25%, já que as rodas não patinam. Além disso, o travamento automático do sistema de translação também proporciona mais segurança ao operador, especialmente em operações em rampas.

A utilização de componentes hidráulicos de alta qualidade, combinada ao sistema de translação único, exige menos potência do motor e permite o enchimento mais rápido e fácil da caçamba, resultando em ciclos de trabalho mais curtos.

Com a pá-carregadeira L 566, a Liebherr passa a oferecer a gama completa de equipamentos nas classes entre 8.500 kg a 21.999 kg de carga de tombamento com as pás-carregadeiras L 538, L 556, L 566 e L 580.

Guindaste de torre 1000 EC-H na mina de Centinela, no Chile

Guindaste de torre 1000 EC-H na mina de Centinela, no Chile

Guindastes de torre na mineração

A Liebherr oferece uma ampla variedade de modelos de guindastes de torre. Com características, capacidades e aplicações diversas, esses equipamentos, no Brasil, são muito utilizados em grandes obras de construção civil ou obras industriais. Nos últimos anos, os guindastes de torre Liebherr provaram ser ideais tanto para construção como manutenção das minas e seus processos. Esses equipamentos já estão sendo usados em diversas minas na América do Sul, como no Chile e no Peru.

Entre os benefícios de utilizar esses equipamentos na mineração, destacam-se a precisão na movimentação de carga e baixa interferência no local. “O interessante é aproveitar a aplicação industrial do guindaste de torre, no momento da construção da mina, e já manter o equipamento montado para as manutenções que ocorrerão nos anos seguintes. A vida útil de um guindaste de torre é de mais de 20 anos e durante todo esse período o equipamento fica à disposição da mina”, afirma Luiz Meirelles, gerente comecial de Guindastes de Torre da Liebherr Brasil. Entre as atividades de manutenção que os guindastes podem exercer, é possível mencionar troca de filtros, substituição de válvulas, motores e redutores, enfim, toda manutenção preventiva ou corretiva de elementos pesados.